.

.

quarta-feira, abril 15, 2015

Você faz ideia do que fez?


Não. Nunca.

Você nunca saberá.

Não tem a menor noção, nem nunca terá ideia do que fez.

Eu nunca te pedi nada além de respeito. Nunca te pedi que gostasse de mim do mesmo jeito que eu gostava de você. Eu nunca prendi a sua vida na minha! E tudo o que eu esperava de você era que pudesse se colocar no meu lugar antes de me jogar em qualquer merda de lugar da sua vida. Eu só esperava que você pensasse em como eu poderia me sentir, em como seria com você se estivesse no meu lugar!

A discussão já não é mais sobre o que eu planejava sozinho para nós dois, mas sim, sobre as mensagens que eu te mandava, sobre as portas que abri da minha casa, sobre as portas do meu corpo que abri pra você entrar. Insisto nisso porque não me entra na cabeça como você basicamente mandou eu me foder sem dizer sequer uma palavra, não me entra na cabeça como você deu de ombros para a possibilidade de eu me sentir um bosta diante dos esforços que fazia por você e por nós dois.

Você nunca vai fazer ideia do que fez.

Você não sabe das noites que eu ouvia os segundos passando no relógio na parede sem conseguir dormir. Você não sabe da luz do celular que iluminava meu choro ao reler suas mensagens.
Você não sabe dos amigos que eu torrei o saco chamando pra conversar na madrugada para falar das mesmas coisas.
Você não sabe dos dias que acordei pra trabalhar querendo dormir para morrer.
Você não sabe das vezes que me evitei olhar no espelho por não acreditar no que eu estava vivendo.
Você não sabe do esforço que fiz para tentar esconder de quem eu gosto que existia alguém que fingia gostar de mim.
Você só precisava saber me respeitar.
Você só precisava entender que eu só queria o seu bem e que ser recíproco à isso por mim seria o mínimo vindo de você.
Você nunca vai fazer ideia do que fez.

Mas você me fez sentir a pessoa mais idiota do mundo, pois enquanto eu guardava um espaço em todas as horas do meu dia para visitar meus pensamentos, você ocupava o lugar que dizia que eu tinha na sua vida com outra companhia.

Olha o que você fez comigo.
Olha as horas que me fez perder.
Olha o lixo de pessoa que me fez sentir!

Só consigo imaginar o quanto você diabolicamente se divertia enquanto lia minhas sugestões do que fazer no fim de semana. Você respondia “vamos ver” quando eu perguntava “vamos?”

Apesar de eu ter que sangrar gota por gota, chegou uma hora que eu percebi que não merecia. Eu rezava pro tempo passar e aumentar a distância entre o nosso passado e o meu presente.

No começo era em vão pois eu tentava te fazer partir sem aceitar te deixar ir, eu lutava contra mim mesmo, eu não queria o que eu precisava.

Você não faz ideia do que fez.

Até raiva de mim mesmo eu senti. Até vontade de bater minha cabeça na parede por correr atrás feito trouxa eu senti.
Até vontade de te dizer que eu esqueceria tudo o que passamos se você começasse e lembrar mais de mim eu senti.
Você nunca vai fazer ideia do que fez, mas também nunca vai fazer ideia do que faço hoje, simplesmente por eu não querer que saiba; por eu não querer que saiba que segui aqui neste mundo respirando o mesmo ar que você.

Não é sobre desejar mal, é sobre te desejar tanto até enjoar de te desejar e não te desejar mais.



Um Travesseiro Para Dois

Você também poderá gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...