sexta-feira, junho 24, 2016

Boa Noite

Deixando meu carinho...


Bom dia Comentando...








"Isso de amizade..."



Ah, esse fenômeno instigante, o das amizades que se mantêm independentes da convivência.

Será amizade? Será saudade comum dos anos vividos em amizade? Será saudade dos anos felizes ou uma afinidade que se espraia no tempo? Não sei responder. Sei que com algumas pessoas (poucas), há uma insistência teimosa em desejar ver, trocar idéias e experiências, creio, pela certeza da reciprocidade e do "ser aceito".

Sim, talvez seja a certeza de ser aceito, uma das maiores necessidades humanas neste mundo de incompreensões. Talvez seja a necessidade da existência de certeza prévia de acolhimento ao que somos, como somos e ao que pensamos, o fermento da amizade.

O mistério da amizade talvez resida no alívio que traz a existência de alguém que nos acolha. Digo acolha e, não, recolha - aí já seria dependência de um lado e paternalismo do outro.

Acolher significa receber de bom grado, previamente, sem julgamentos ou resistências. É molesto o fato de que os seres humanos vivam a julgar e que suas opiniões prévias interponham barreiras na comunicação, dificultando- a.

O mistério da afinidade consiste na inexistência das resistências ao outro, mesmo quando haja discordância. Isso não deriva apenas de afeto. Quantas vezes há afeto entre as pessoas sem, porém, a aceitação natural, espontânea e prévia?

Verifique nas amizades tidas e vividas ao logo da vida, o que delas restou. Haverá muita vivência, boa e má. Raramente, porém, restará a amizade...

Com os anos, vão se tornando escassas as amizades que atravessaram o terreno íntimo que lhes é próprio sem arranhões e sem mágoas, restando, como fruto, após ingentes experiências humanas e existenciais, apenas (e já é tanto...) a amizade.

Amizade é o que resta da amizade. Se o que resta de uma amizade é amizade, então amizade é...
Da verdadeira!


(Arthur da Távola)



Sol Hoffmann

José Medeiros critica ataques pessoais no debate político


Escutem o que o Senador José Medeiros falou no plenário ONTEM (23/6/2016) clicando AQUI


SENADO FEDERAL

Lava Jato 'desempina' o narizinho de Gleisi Hoffmann

O colunista Felipe Moura Brasil comenta o Planejamento da roubalheira do PT e a "casa de enforcado" do casal petista Gleisi Hoffmann e Paulo Bernardo, ex-ministro preso na Lava Jato.

Assista!



Felipe Moura Brasil

Pula a fogueira Iaiá, pula a fogueira Ioiô


Quantas fogueiras para pular neste São João! Precisamos ter muito cuidado, são fogueiras altas, nosso arraiá está ardendo em fogo!

A fogueira do ex-ministro Paulo Bernardo é das mais altas, das que mais espalham brasa: a Operação Lava-Jato abriu o leque e tchan-tchan-tchan!, surgiu a Operação Custo Brasil!

Parece mentira mas é verdade verdadeira: de grão em grão, de uma taxinha de R$1,25 cobrada da parcela paga por cada beneficiário do empréstimo consignado, ao fim do período que vai de 2009 a 2015, o Ministério do Planejamento amealhou 100 milhões de reais.

Não me compreendam mal: essa vaquinha não resultou em ganho para o trabalhador brasileiro, não. Essa quantia encantadora passou pelo crivo de João Vaccari, ex-tesoureiro do PT, atualmente hóspede da PF, que a dividiu entre o PT e o ex-ministro Paulo Bernardo. Em resumo: os trabalhadores do Brasil, em sua santa ignorância, foram generosos com os dirigentes de seu partido. É ou não é uma fogueira que ilumina a noite de São João?

Não se avexe, há outras, há outras.

Por exemplo, a do deputado Eduardo Cunha. Pule essa com muito cuidado. O Cunha é um perito fogueteiro e nunca se sabe que tipo de fogos estão prestes a explodir na fogueira montada por ele.

E a do motoqueiro da Dilma? O homem de sobrenome que inspira um trocadilho? Será que ele se gaba da fogueira que armou? Certeza eu não tenho, mas essa eu prefiro nem arriscar pular.

E as fogueiras aqui do Rio? Estão todos os brasileiros aborrecidos com nossa pobre cidade e zangados com o governador Dornelles. O que é que vocês queriam que ele fizesse? Que pegasse o boné e nos deixasse à matroca?

Isso não seria de bom tom.

Mas tem algo que o governador deveria fazer. Numa entrevista coletiva lembrar ao Brasil quem teve a brilhante ideia de trazer a Olimpíada para o Rio. Isso mesmo, Ele, o Grande Líder, o Mito Trapalhão, o Rei dos Aloprados.

Copio aqui as palavras que ele disse em 2009 – que ano fatídico! – em Copenhagen, diante do Comitê Olímpico Internacional:

“Chegou nossa hora. Chegou! Entre as dez maiores economias do mundo, o Brasil é o único país que não sediou os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos. Para os outros, será apenas mais uma Olimpíada. Para nós, será uma oportunidade sem igual. Aumentará a autoestima dos brasileiros, consolidará conquistas recentes, estimulará novos avanços”.

“O Rio está pronto. Os que nos derem esta chance não se arrependerão”, disse o presidente Lula ao finalizar o discurso.

Engraçado que ninguém pergunta ao povo o que ele quer. Perguntaram sobre a Copa? Não. Desandaram a construir arenas ou a reformar, a custo de ouro em pó, estádios que faziam parte de nossa história. Está aí esse novo e caríssimo Maracanã que não me deixa mentir. Não é mais o Maracanã tri-campeão, é o Maracanã dos 7x1.

Que não me venham lembrar que a Inglaterra demoliu Wembley para construir outro Wembley. Cada país tem direito às suas burradas. Ontem mesmo a Inglaterra acendeu uma imensa fogueira para o Sinn Fein pular. Só quero ver no que vai dar...

O nosso arraiá é imenso, é um continente. Não seriam só essas fogueiras que poderiam iluminá-lo; há muitas outras que aos poucos irão se acendendo. Temos até a noite de São Pedro para pular fogueiras e participar das quadrilhas...

Não se esqueçam de pôr sebo nas canelas!

Maria Helena Rubinato Rodrigues de Sousa

Seu Brasílio


Hoje é Dia de São João. E a gente continua segurando o rojão. 



quinta-feira, junho 23, 2016


Boa tarde Comentando...








Realização dos sonhos


"Existem duas coisas que impedem uma pessoa de realizar os seus sonhos: achar que eles são impossíveis, ou, através de uma súbita virada na roda do destino, vê-los transformarem-se em algo possível quando menos se espera.
Pois neste momento surge o medo de um caminho que não se sabe onde vai dar, de uma vida com desafios desconhecidos, da possibilidade que as coisas com que estamos acostumados desapareçam para sempre.

As pessoas querem mudar tudo, e ao mesmo tempo desejam que tudo continue igual.

Muitas vezes acostumamos com a derrota, e qualquer chance de vitória torna-se um fardo pesado demais para carregar ou somos covardes demais para mudar o destino."


(Paulo Coelho)




Sol Hoffmann

CUSTO BRASIL: COMO GOVERNO LULA ROUBOU R$100MI DE IDOSOS ENDIVIDADOS



VejaJoice

Ronaldo Caiado tira a resposta que queria do Dr Anderson Lozi da Rocha na Comissão Especial do Impeachment.



YouTube

Boa Tarde


Deixando meu carinho...


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...