.

.

terça-feira, abril 26, 2016


Boa tarde Comentando...






Sou...

Sou o que sou
Às vezes o que não sou.
Sou o grão de areia
Na engrenagem da tua vida.
Insignificante, débil.

Sou a lágrima que escapa do teu rosto
A tua estrada sem fim,
Sem direção ou rumo definido
Desprovido de luz e vida.

Sou a fantasia ainda não cumprida.
O desespero de não estar.
A minha própria alienação.

Em mim sou o que não sou
Em ti sou o que sou.
Em ti quero ser, acontecer.

(Antônio Alves)



Sol Hoffmann

Você também poderá gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...