.

.

sábado, abril 18, 2015

Algumas mulheres precisam desesperadamente de um homem para viver.



Não, isso não é coisa do tempo antigo.


É mais atual do que você pensa. 


Tem mulher que é infeliz sem um homem ao lado. Outras precisam estar sempre apaixonadas.
Eu não preciso de homem pra viver.


Na verdade, nunca precisei.


Pra falar mais a verdade ainda, o único homem que precisei foi o meu pai.


Ele me ensinou a andar de bicicleta, tentou, sem sucesso, me ensinar trigonometria (sempre fui péssima em matemática), me ensinou a ser honesta e justa.


Com ele, aprendi a descascar laranja, tomar cerveja, gostar de cachorros, dar cambalhota, comer salada, organizar a mesada para poder comprar picolé no verão.


Meu pai me deu apoio, suporte, abrigo e amor. 


Me ensinou a manusear um dicionário e me mostrou o que é certo e errado na vida.


Aprendi que a gente tem que fazer por merecer e que não tem nada de errado se a gente não souber o que quer, desde que a gente saiba exatamente o que não quer de jeito nenhum. Meu pai pagou todas as minhas contas até eu sair de casa, inclusive minha faculdade.


Uma vez, me apertei e pedi dinheiro emprestado. Quando fui devolver ele disse que não precisava, mas eu fiz questão. Coloquei nota em cima de nota e disse “me emprestou, estou devolvendo, aceita, pois se eu precisar de novo posso pedir”. Devolvi e me senti muito bem com isso.


Com o meu pai eu aprendi a ser gente.


E a entender e aceitar que as pessoas são diferentes e precisam se respeitar. E que nem todo mundo tem que ter o mesmo gosto. E que nem sempre o jeito que alguém diz que te ama é o mesmo jeito que você fala e demonstra que ama.


E que o mundo é grande demais, por isso a gente tem que correr. 


E que sempre vai existir alguém mais bonito e mais inteligente que você, assim como sempre vai existir um mais burro e mais feio. 


E que um abraço fala muito mais do que um monte de palavras. Eu acho que a gente precisa do pai quando é pequeno e depois que cresce. 


A gente precisa do pai até mesmo depois que ele morre. Mesmo longe, no céu dos pais, eles nos ensinam de alguma forma. Pai é uma figura eterna. E que nunca vai ser substituída. Por ninguém nesse mundo.
Eu não preciso de homem pra viver.


Pago as minhas contas, sei trocar lâmpada, tenho vários cobertores, mato insetos e nem sempre consigo abrir potes de pepino em conserva. Mas tudo bem. Eu não preciso de homem pra viver. 


Não vejo problema algum em ir a eventos desacompanhada, ir ao cinema ou jantar sozinha.
Eu não preciso de homem pra viver, mas ter uma companhia é bem melhor.


Dizem que o primeiro amor de uma menina é o pai.


O segundo é um cara que vira o amor da vida.


Ninguém tira o meu pai do meu coração. 


Nem o amor da minha vida.


E quer saber? 


Acho mesmo que ninguém precisa de homem pra viver.


Mas que a vida com eles fica bem melhor, ah, isso fica.


É muito mais bacana ter com quem dividir a vida do que viver ela sozinha



Clarissa Corrêa

Você também poderá gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...