.

.

sexta-feira, fevereiro 05, 2016

Obrigado por me despedaçar.


Você me despedaçou, não tenho como definir melhor o que você fez comigo.
Você me destruiu de tantas formas diferentes que eu não consigo nem começar a descrever ou explicar.

Eu não tinha a menor noção do que esperar da vida, nem tampouco experiência, e nesse contexto, nesse momento na vida de um garoto começando sua terceira década de vida você apareceu e fez o sol brilhar mais forte, fez as cores mais coloridas, os sabores mais gostosos.

Uma hora parecia demorar um ano quando eu estava sem você, e tudo que eu desejava durante o dia era poder controlar o relógio para que a noite chegasse e eu pudesse te ver.
Coisas materiais não tinham mais valor, só o que tinha valor para mim era você, era um beijo seu, um abraço, um amasso, um eu te amo.
Eu não tinha a menor ideia do que eu queria da vida além de você e não cansava de te contemplar, de olhar nos seus olhos, de te ver dormir, nunca me cansei da luz no seu sorriso.
Você me tomava por completo, e só a sua imagem na minha cabeça causava borboletas no meu estômago.

Lá no fundo eu sabia que nada com aquela intensidade poderia sobreviver pra sempre, pois tão certo como o corpo precisa de oxigênio para funcionar, era preciso muita energia para manter algo tão forte como aquele amor, aquela paixão, vivos.
E o inevitável fim chegou.

Existem fins que chegam na hora certa para algumas pessoas, na hora que cada um já aprendeu tudo que podia um com o outro, na hora que os inexperientes já se tornaram mais experientes.
Mas na minha vida notícias ruins nunca chegaram – ou saíram nesse caso – na hora certa, e quando você abandonou o navio você me deixou a deriva, sem capitão, no meio de uma tempestade.

Você era meu farol, meu porto seguro, e de uma hora pra outra me vi no meio daquela tempestade, sem você e completamente no escuro.
Sem você eu tive que encarar o mundo sozinho, mas a melhor parte de estar quebrado em mil pedaços é que você pode se reinventar escolhendo apenas os pedaços que você quer.

Eu naveguei aquele barco, sozinho e no escuro, até os lugares mais lindos do mundo.
Viajei, conheci pessoas, lugares, culturas, criei coisas e me tornei mais forte do que eu sabia que eu podia ser, e finalmente eu aprendi a ser capitão, aprendi de onde outras luzes também vem para que eu nunca mais ficasse no escuro.
Quando parei para refletir um dia, sob a luz de um por do sol em algum lugar, vi que aquele garoto inexperiente que começava sua terceira década de vida já não existia mais.

Você me despedaçou, não tenho como definir melhor o que você fez comigo.
Você me destruiu de tantas formas diferentes que eu não consigo nem começar a descrever ou explicar.

Obrigado por ter feito isso, pois só destruído eu pude me reinventar.
Obrigado por me despedaçar.

Gabriel Ricci

Você também poderá gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...