.

.

domingo, janeiro 31, 2016

Era assim que dizias.


És parecida com a Terra.

Essa é a tua beleza.

Era assim que dizias.

E quando nos beijávamos e eu perdia respiração e, entre suspiros, perguntava: em que dia nasceste?

E me respondias, voz trémula: estou nascendo agora.

E a tua mão ascendia por entre o vão das minhas pernas e eu voltava a perguntar: onde nasceste?

E tu, quase sem voz, respondias: estou nascendo em ti, meu amor.

Era assim que dizias.

Tu eras um poeta

Eu era a tua poesia.

Mia Couto

Você também poderá gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...