.

.

domingo, junho 07, 2015

Para lembrar como o amor é simples


Sério.

Antes de qualquer coisa, assista ao vídeo.

São 8 minutos que valem a pena.


Não é lindo? O filme é tão querido, fofo e real!

O curta começa falando sobre como todos queremos ser amados e estar apaixonados. Depois, ele pergunta: estamos todos prontos para o amor? Não sei.

Quer dizer, acho que complicamos tanto o “amor” que nem lembramos muito bem como ele é.

Quanto tempo gastamos imaginando mil monstros, fantasmas e minhocas (no meu caso, baratas, afinal é isso que me mete muito medo, rsrsrs) e encanando tentando complicar o que deveria ser descomplicado?

Quantas mensagens você escreveu e não enviou!

É que, na sua cabeça, a pessoa poderia pensar horríveis sobre você.

Mas qual o problema?

Quantas vezes imaginamos milhões de situações que nunca existirão e fantasiamos com coisas tão distantes da realidade?

E quantos encontros divertidos perdemos por isso?

Perdemos tudo ao não darmos uma chance para alguém apenas pelo fato de ele não se parecer com o marido (hellooo, acorda Cinderela) perfeito que você imaginou que teria um dia?

Com certeza, eu perdi vários momentos sinceros.

A realidade me decepcionava porque minha criativa imaginação impedia.

E foi isso que o vídeo me lembrou: essa sensação gostosa de gostar e de ser simples, divertido e gostoso. E real.

Onde estou em relação ao amor?

Numa jornada em busca da simplicidade da vida cotidiana e acho que não estou sozinha nessa.

Por um amor divertido, leve, gostoso e, principalmente, sincero.

Não mais fantasias mirabolantes em que o primeiro beijo só acontece no meio do deserto sob um céu cheio de estrelas; às vezes um beijo roubado na frente do supermercado às 4 da tarde é muito gostoso.

Não mais sonhar em encontrar o príncipe encantado numa viagem para Dinamarca porque talvez o cara certo more bem aqui pertinho.

Não mais esperar que as flores que ele traz serão sempre brancas, pois as flores sinceras não são perfeitas e tem manchas.

As relações também.

Elas acontecem nas horas mais inapropriadas dos jeitos mais inoportunos e sinceros depois que as minhocas e a imaginação dão espaço a encarar a vida real, como no vídeo.

Porque a realidade é mais simples e descomplicada do que a imaginação.

E também muito mais gostosa de viver.


Luiza Garmendia

Você também poderá gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...