.

.

terça-feira, abril 21, 2015

Quatro curiosidades sobre o fim de Tiradentes


Sem barba 

Ao ser enforcado, Joaquim José da Silva Xavier não estaria usando barba — os presos da época tinham a cabeça e a barba raspada.

O próprio Tiradentes, antes da prisão, era descrito por contemporâneos como grisalho, de barba feita e com um bigode aparado, de uso costumeiro entre militares.


Cortejo no sábado 

O dia 21 de abril de 1792 foi um sábado, e Tiradentes desfilou pelas ruas do Rio até o patíbulo num cortejo destinado a mostrar a força da Coroa portuguesa.

Saiu da cadeia (onde hoje fica o Palácio Tiradentes) e andou até o patíbulo, erguido nas proximidades da Praça Tiradentes.


Cabeça sumida 

Após o enforcamento, Tiradentes teve a cabeça decepada e o corpo esquartejado.

A cabeça foi colocada num poste em Vila Rica (hoje Ouro Preto), mas acabou surrupiada de lá e desapareceu.

As outras partes do corpo foram exibidas ao longo do Caminho Novo, que ligava Minas ao Rio de Janeiro.


Herói ainda que tardio 

A casa em que Tiradentes morava foi destruída e seu terreno, salgado, para nada mais lá germinasse.

Durante o Império brasileiro, permaneceu uma figura obscura, só sendo resgatado para ajudar a representar os ideais da nascente República do país — daí a imagem messiânica que passou a representá-lo.


O GLOBO

Você também poderá gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...