.

.

quinta-feira, junho 29, 2017

Viva as válvulas de escape


"Viva as válvulas de escape, que lamentavelmente não gozam de boa reputação. 

Não sei quem inventou que é preciso ser a gente mesmo 

o tempo todo, que não se pode diversificar. 

Se fosse assim, não existiria o teatro, 

o cinema, a música, a escultura, a pintura, a poesia, 

tudo o que possibilita novas formas de expressão 

além do script que a sociedade nos intima a seguir: 

nascer-estudar-casar-ter filhos-trabalhar-e-morrer."

Martha Medeiros

Você também poderá gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...