.

.

terça-feira, setembro 06, 2016

Quase tudo


Amanhã será o seu grande dia.

A data que vi você planejar por muito tempo.

Cada detalhe, cada convidado, cada padrinho.

Já te vi descrever esse momento por tantas vezes, que tenho a imagem dele gravada na mente.

A cerimônia na praia. Os convidados com os pés na areia.

O seu cachorro trazendo as alianças.

O vestido que sempre sonhou. A coroa prateada que você sempre quis.

A correntinha que a sua avó costumava usar.

Esse é um roteiro que escrevemos juntos.

Eu fecho os olhos e consigo ouvir até mesmo a música que vai tocar quando você colocar os pés no tapete.

Vai estar tudo lá. Tudo como você sempre sonhou. Tudo como você sempre quis.

Exceto talvez pelo rapaz te esperando na ponta do altar.

Essa parte fugiu dos nossos planos.

Aquele ali seria o meu lugar. É ali que eu deveria estar. Que eu queria estar. Era o meu papel.

Confesso que segurei esse desabafo por muito tempo.

Desde que vi a foto com você usando aquela aliança de noivado, eu venho morrendo em silêncio.

Uma contagem regressiva quase insuportável.

A dor de ver o amor da minha vida se casando com outro homem.

Passei meses tentando evitar exatamente o que faço agora.

Eu sou muito orgulhoso, você sabe.

Não queria ser cruel ao ponto de dizer tudo isso só agora, na véspera, mas esse é um grito que eu precisava libertar para não passar o resto dos meus dias sufocado.

Talvez você tenha esperado por isso antes.

Talvez seja tarde demais.

Eu sei que não tenho mais direito de te cobrar nada.

Sei que tive todas as chances do mundo de mudar, de fazer diferente.

Acho que a força do nosso amor me acomodou.

Eu sempre fui tão confiante em relação ao que sentíamos um pelo outro, que deixei de cuidar você.

Deixei de cuidar da gente.

Quando terminamos pela última vez eu pensei que fosse só mais uma briga boba como todas as outras.

Não foi. Eu perdi o melhor presente que a vida me deu sem nem ao menos lutar por ele.

Agora só me resta seguir adiante.

O roteiro dessa história não está mais em minhas mãos.

Eu sou só mais um caso de alguém que não vai se casar com a pessoa que mais amou na vida.

Eu sou só mais um que precisou perder para dar valor.

Alguém que acordou tarde demais.

Eu sei que essa carta vai mexer com você.

Talvez te deixe com raiva. Talvez libere aquele sorriso que eu sempre fui apaixonado.

Talvez você goste de saber que eu estou mal. Por mim está tudo bem.

Desculpe pelas manchas de lágrima no papel.

Desculpe por não fazer parte do seu grande dia.

Espero que aquele cara te esperando lá no altar saiba da sorte que tem.

Saiba ser o que não fui. E que seja tudo como você sempre sonhou.

Ou melhor. Quase tudo.

Rafael Magalhães

Você também poderá gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...