.

.

sábado, maio 09, 2015

O que é a lembrança?


Sempre pensei que é impossível entender qualquer questão sem antes responder a uma pergunta; e dessa pergunta sempre sobrarão dúvidas. Creio que só podemos falar que entendemos algo a partir dessa resposta.

Por que? Se você não é capaz de encontrar um motivo, acredito que não entenda absolutamente nada do que está acontecendo.
Por que me odeia? Por que gosta de mim? Por que chove? Por que sempre perco as coisas? Por que vai embora? Por que não fica? Cada pergunta tem sua base, e não é a mesma coisa perguntar por que um amigo se foi, ou por que ficou. Nem é o mesmo perguntar por que não chove, ou por que faz sol. E é assim com tudo. Quando você pára para procurar uma resposta para esse tipo de pergunta, sempre falta alguma informação… E pode ser que você encontre, ou não, o que ficou faltando. O que fica, e o que você tem, é uma lembrança.

E o que é uma lembrança?

Não está muito claro se é algo que pertence a nós, ou se é algo que já passou. Porque… quanto de real tem uma lembrança? Quanto tem de imaginação? Devemos considerá-la boa por ter acontecido, ou ruim por ter terminado? A lembrança é o melhor presente para tornar um momento inesquecível? É triste lembrar-se de algo que não acontecerá mais. Em 1988, Woody Allen se perguntou o mesmo, “…. então me perguntei se uma lembrança é algo que se tem, ou algo que se perdeu.” Tenho quase certeza de que, assim como o resto das pessoas, ele não encontrou uma resposta convincente o suficiente para sua pergunta. E é fácil entender o motivo disso.

É justamente essa controvérsia, essa magia, essa contradição e essa mistura de sentimentos que fazem com que uma lembrança seja o mistério que é. E sabemos que é melhor não entender determinadas questões.
Deixar que te invadam e te arrastem para terrenos desconhecidos, ou coisa parecida. Que ajam como uma distração. E que consigam, por um momento, afastar você da busca que pretendia começar. Se deter numa lembrança, enquanto esquece o que realmente queria saber… se te odeia, por que determinada pessoa te quer, por que chove, ou por que às vezes perde? Ficar paralisado na lembrança, enquanto interrompe a missão de descobrir o motivo da pessoa ter te deixado, ou não.

MENTE MARAVILHOSA

Você também poderá gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...